MEGAPOST Clássico Gore- Adolescente confessa ter esquartejado colega em Blumenau

Publicado por | dezembro 29, 2020 | Clássicos Gore, Homicídio, Mundo Gore, Tortura

24/07/07

FLORIANÓPOLIS – O assassinato de um menino de 12 anos, ocorrido nesta segunda-feira, no Bairro da Velha Central, chocou Blumenau, no Médio Vale, em Santa Catarina. Gabriel Kuhn foi encontrado morto e com as pernas separadas do corpo, por volta do meio-dia, na casa de um vizinho. O suspeito é um rapaz de 16 anos que convivia com a família de Gabriel e com as outras crianças da rua. O crime teria sido motivado por uma discussão durante um jogo de computador.

O suspeito, que prestou depoimento acompanhado do pai e do advogado da família, teria confessado o crime à delegada Rosi Serafim, responsável pelo caso. Durante uma discussão por causa de um jogo de computador, o adolescente teria estrangulado a vítima. Ao ver o menino de 12 anos desacordado, decidiu escondê-lo no sótão que fica a 1,80 metros do chão. Com o auxílio de uma escada, ele teria amarrado o corpo a um fio na tentativa de suspendê-lo.

– Como tava muito pesado, ele não conseguiu levantar. Foi aí que ele teria cortado as pernas para facilitar a remoção. Ele cortou as duas pernas com um faca e quando chegou na parte óssea, pegou uma serrinha – relatou a delegada.

Depois de prestar declarações, o adolescente foi conduzido ao IML e em seguida apresentado ao Ministério Público. Após ouvir o suspeito, a promotora substituta da infância e juventude, Mônica Papst, solicitou a internação provisória do jovem. A Justiça acatou o pedido.

A família de Gabriel está inconformada com o crime. Ninguém compreende como o amigo de 16 anos pode ter tido coragem de matá-lo.

– Eles sempre brincavam juntos. Ele (o suspeito) estava sempre aqui em casa, brincando no computador com os meus filhos. A gente fica até na dúvida se é ele mesmo – desabafou o pai da vítima, Adelar Kuhn, 42 anos.

– O Gabriel sempre foi um menino bom. Eles só brincavam. Não dá para entender – lamentou a avó Dori Kuhn.

Os vizinhos também se recordam das brincadeiras dos meninos na rua. Dolores Gonçalves, 61 anos, que ficou sabendo do crime pela TV, não acreditou que pudesse ser o rapaz de 16 anos.

– Alguma coisa errada aconteceu. Ele sempre ajudou os pais, era educado, quieto. Só fico pensando na dor das mães dessas crianças – conta.

A mãe do suspeito foi levada a Blumenau por familiares, ela estava na casa de amigos e mantinha-se à base de calmantes.

 

GOSTOU DESTE POST? COMPARTILHE
Insultos, racismo e incentivo ao suicídio não serão toleráveis nos comentários. Seu IP pode ser banido, antes mesmo da aprovação por um admin. Em caso extremo, seu IP será repassado para as autoridades locais.

Comentário Fechado